A FAO será o organismo principal da iniciativa dirigida a conhecer a importância dos pastores e das pastagens

As Nações Unidas (ONU) declararam 2026 o Ano Internacional das Pastagens e dos Pastores, refletindo a importância das pastagens na criação de um ambiente sustentável, crescimento econômico e meios de subsistência resilientes para comunidades em todo o mundo.

Em sua sessão plenária de 28 de fevereiro de 2022, a Assembleia Geral das Nações Unidas adotou a resolução que havia sido iniciada e liderada pela Mongólia e endossada por 33 Estados Membros de todas as regiões do mundo.

O Ano Internacional das Pastagens e dos Pastores visa sensibilizar e promover o valor das pastagens ​​e do pastoreio sustentável, bem como defender a necessidade de fortalecer ainda mais a capacidade do setor da pecuária pastoril e aumentar o investimento responsável neste setor. Isso inclui a adoção de práticas sustentáveis ​​de maneio da terra, a melhoria ou restauração de ecossistemas, acesso equitativo aos mercados e a saúde e reprodução do gado. Como agência líder, a Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação (FAO) será responsável por organizar o Ano Internacional das Pastagens e dos Pastores.

As pastagens e o pastoreio

As pastagens e o pastoreio estão ligados aos diversos ecossistemas, culturas, identidades, saberes tradicionais e experiências históricas que convivem na natureza. As pastagens sustentam os meios de subsistência e a segurança alimentar de milhões de pessoas em todo o mundo e proporcionam muitos benefícios, não apenas aos criadores de gado, mas também a outras comunidades por meio da conservação da biodiversidade, sequestro de carbono e fornecimento de água potável. Os pastores aproveitam ao máximo a variabilidade ambiental por meio da mobilidade estratégica sazonal.

No entanto, secas, inundações, degradação do ecossistema, doenças animais, pressão sobre a terra e clima cada vez mais errático estão comprometendo a produtividade econômica das pastagens e do pastoreio, potencialmente agravando a pobreza rural como consequência da perda de ativos produtivos dos pastores.

As pastagens e o pastoreio têm grande potencial para alcançar os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável. Nesse sentido, o Ano Internacional das Pastagens e dos Pastores representa uma oportunidade para aumentar a conscientização sobre essas questões de interesse global em escala internacional.

Incentivando a participação por meio de um Ano Internacional

A FAO, juntamente com seus parceiros no governo, sociedade civil e comunidade científica, desenvolverá uma série de atividades vinculadas ao Ano Internacional das Pastagens e dos Pastores, com o objetivo de divulgar a iniciativa e conscientizar sobre a importância do maneio sustentável das pastagens e do pastoreio e sua contribuição para o alcance do desenvolvimento sustentável. Os membros da FAO serão incentivados a capacitar o setor da pecuária pastoril e a aumentar o investimento responsável neste setor, em particular com vista à adoção de práticas sustentáveis ​​de gestão do solo, também com o objetivo de reduzir as emissões de gases com efeito de estufa, aumentar a capacidade de adaptação , e manter e aumentar a diversidade nas pastagens.

O trabalho da FAO em relação as pastagens e os pastores

A FAO está ajudando a enfrentar alguns desses desafios por meio de seu trabalho em gestão sustentável de pastagens, governança e geração de dados e conhecimento, bem como seu apoio a iniciativas para promover os pastores.

A Organização também desenvolve e promove a aplicação de conhecimentos, ferramentas e diretrizes, por exemplo, as Diretrizes Técnicas para Melhorar a Governança das Pastagens, as Diretrizes Voluntárias sobre a Governança Responsável da Posse e a “Avaliação Participativa da Degradação da Terra e Maneio Sustentável da Terra em Pastagens e Sistemas Pastoris”. O Centro de Conhecimento Pastoral da FAO é um repositório de conhecimento técnico sobre pastorícia e meios de subsistência pastoris e um fórum neutro para troca e construção de parcerias entre pastores e partes interessadas que trabalham em questões pastoris.

Para lidar com as doenças dos animais, a FAO promove a prevenção, controle e erradicação da peste dos pequenos ruminantes, também conhecida como peste ovina e caprina, com o objetivo de erradicar esta doença altamente contagiosa, como foi feito no caso da peste bovina em 2011. Apoiar com a abordagem One Health, a FAO e seus parceiros buscam aumentar as habilidades veterinárias e de monitoramento dos países.

Notícia adaptada por Capril Virtual Portugal com informações das Nações Unidas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.