Sobre o projeto

Este projeto português e de cooperação transfronteiriça nas suas origens, visa trabalhar para além da prevenção dos riscos naturais, é coordenado pela Associação Florestal e Ambiental de Vila Pouca de Aguiar, em conjunto com outras associações portuguesas como os Criadores de Maronês, a Criadores de Cabra Bravia, os Caprinicultores Nacionais da Raça Serrana, e é financiado pelo programa Promover Regiões de Fronteira da Fundação La Caixa.

Rebanhos Mais pretende utilizar a pastagem orientada como ferramenta para gerir os espaços naturais, prevenir incêndios de forma coordenada entre diferentes territórios de fronteira e recuperar áreas degradadas. Para o efeito, trabalhar-se-á na criação de modelos de sistemas de informação georreferenciados (SIG) que, através de uma plataforma virtual, permitam a prevenção de riscos e a adaptação às alterações climáticas nos territórios.

Segundo a entidade coordenadora, também procuram a colaboração dos diversos atores para a apropriação do modelo e a sua capacidade de replicação noutros territórios. Neste sentido, a plataforma contará também com ferramentas de formação e apoio técnico para que possam ser utilizadas por empresários do sector que pretendam se adaptar às inovações propostas por Rebanhos Mais.

Para atingir estes objetivos, a iniciativa promove a participação de administrações, agricultores e consumidores, com base na experiência positiva que a experiência já adquiriu em outros territórios como a Andaluzia, Catalunha e várias áreas dos Pirenéus, onde uma melhoria na redução de incêndios florestais graças à aplicação da metodologia e dos recursos derivados do projeto.

Plataforma digital e formação

As possibilidades de implementação da iniciativa noutros territórios apoiam-se na criação da plataforma digital incluída no projeto, visto que este suporte técnico é uma ferramenta de aplicação direta para todos aqueles que o pretendam implementar.

Menu