As questões relacionadas com o Bem-Estar Animal, têm cada vez maiores implicações no dia-a-dia das explorações pecuárias.
O cumprimento das normas de Bem-Estar têm impacto no rendimento final das explorações, sendo um factor potencializador da qualidade e, muitas vezes, da quantidade de produto final.

Quando se fala em Bem-Estar Animal deve-se ter em consideração os conceitos expressos nas chamadas “cinco liberdades” elaboradas pelo “Farm Animal Welfare Council”.

Estas Cinco Liberdades são:
– Ausência de Fome e Sede- Livres de Dor, Ferimentos ou Doença
– Ausência de Desconforto
– Liberdade de Expressar Comportamento Normal
– Ausência de Medo ou Sofrimento

De acordo com estas liberdades os detentores/tratadores que têm animais a seu cargo, devem:
• Proceder a um maneio e planeamento cuidadosos e responsáveis;
• Possuir conhecimentos e prática comprovada no maneio de animais;
• Assegurar que a “estrutura e equipamento” das instalações sejam apropriadas para
salvaguardar o Bem-Estar dos animais (por exemplo: tipo e funcionamento da maquinaria);
• Manusear e transportar os animais de forma adequada;
• Proceder ao abate dos animais sem sofrimento.

O manual foi elaborado em uma parceria da DGAV com a CAP e contém orientações sobre: bovinos, ovinos e caprinos, suínos, galinhas poedeiras e frangos. Boa leitura!

O projeto “REBANHOS MAIS é financiado pela Fundação “La Caixa”, no âmbito do programa “PROMOVE REGIÕES FRONTEIRIÇAS”.

Rebanhos +

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.